Press

“Dar afeto é um ato tão natural como comer ou beber”

By October 15, 2017 No Comments

Norton de Matos fez história no futebol da Índia e como embaixador dos “Footballeurs sans Frontières” estende os braços da solidariedade ao mundo.

Norton de Matos esteve no México, em estágio com a seleção de sub-17 da Índia para o Mundial da categoria, a decorrer no país do grande pacificador Mahatma Gandhi. Nessa passagem assumiu ainda o papel de embaixador dos “Futebolistas sem Fronteiras”, ao oferecer a camisola oficial da sua seleção a um jovem com paralisia cerebral.

O que significa o conceito “Footballeurs sans Frontières”?
É um conceito de solidariedade através do futebol, direcionada a crianças afetadas por problemas de saúde, carências sociais. Promovem-se ações de angariação de fundos em eventos desportivos, associadas a outras áreas de entretenimento. Um do dos embaixadores desta causa o ator inglês Hugh Grant e também Lloris, guarda-redes internacional francês.

Por que razão se juntou a esta causa?
Aceitei ser embaixador por acreditar nos objetivos, intenções e credibilidade desta Associação, dinamizada de forma séria por François Dinis, um português radicado em França.
Os embaixadores disponibilizam à Associação a sua notoriedade e rede de contactos na criação, participação e organização de iniciativas que ajudem a criar receitas para uma causa específica. Pode ser um jogo de veteranos, um jantar ou um espetáculo, onde se faça um leilão de camisolas assinadas por jogadores mundialmente conhecidos; são iniciativas que oferecem a um miúdo a possibilidade de fazer uma operação ou seguir um tratamento médico que, de outra forma, não teria recursos.
Como em Portugal não havia um embaixador, fui convidado – curiosamente, coincidiu com a minha ida para a Índia. Ainda assim, consegui participar à distância em ações de solidariedade de – felizmente, há muita gente solidária no futebol.

Até que ponto estas ações têm impacto psicoemocional nos seus alvos?
Por exemplo, para uma criança com um problema grave receber uma camisola assinada com dedicatória de um ídolo é um motivo de alegria imensa. Com a receita de uma ação de solidariedade, leiloando a camisola, a família poderá pagar um trata-mento médico ou uma operação que ajudará a melhorar o seu estado de saúde ou a contribuir para a esperança de um futuro melhor. A oportunidade de terem uma experiência junto dos ídolos já lhes proporciona um dia de felicidade enorme.

A oferta de uma camisola da seleção da Índia ao jovem mexicano com paralisia cerebral pode fazê-lo sentir-se especial?
Foi incrível ver a alegria do miúdo mexicano. Ele lanchou com a nossa seleção, brincou, riu, falou de futebol, conhecia muito bem os craques portugueses e pediu-me insistentemente a camisola do Ronaldo. Sei que o Cristiano é muito sensível a estas causas, mas o problema é chegar a ele. Expliquei isso ao miúdo. Tenho de si uma imagem de um homem que gosta de distribuir abraços…
Cresci numa família numerosa, rodeado de muito carinho, amor e afetos e são agora perpetuados por filhos, netos e sobrinhos. Tudo o que recebi e recebo tento retribuir da mesma forma. É tão natural como comer ou beber.

Notas Soltas

Índia continua a fazer história em Portugal Luís Norton de Matos assumiu, em março, a seleção de sub-17 da Índia, anfitriã, pela primeira vez, do Mundial’2017, associando-se à história de um país afeiçoado ao críquete. A campanha dos indianos terminou na quinta-feira, sem qualquer ponto, mas com a satisfação de ter sido palco de uma prova deste calibre. A aventura da Índia passou por Portugal, onde iniciou o estágio, facto assinalado pela receção na residência do primeiro-ministro. António Costa foi o primeiro chefe de Governo português a receber uma seleção estrangeira em S. Bento.

A comitiva indiana seguiu, depois, para o México, onde Norton de Matos conheceu Fernando Garcia, o jovem com paralisia cerebral.

Não há fronteiras para os problemas A franja que centra a atenção da “Footballeurs sans Frontières”
(Futebolistas sem Fronteiras) são as crianças doentes, deficientes, abandonadas e órfãos. A associação, fundada em junho de 1996, promoveu, este ano, uma série de eventos de beneficência (com a participação de Cristiano Ronaldo), e no passado, há 20 anos, juntou antigas estrelas e craques da época portugueses para angariar fundos para a ASAS, instituição particular de solidariedade social de Santo Tirso.

por Cristina Aguiar, Jornal “O Jogo”, “Área J”